Coleta da Solidariedade — Gesto Concreto de Fraternidade

1. Dia de Coleta

A Campanha da Fraternidade se expressa concretamente pela oferta de doações em dinheiro na Coleta da Solidariedade. É um gesto concreto de fraternidade e partilha, feito em âmbito nacional em todas as comunidades cristãs, paróquias e dioceses. A Coleta da Solidariedade é parte integrante da CF.

Dia Nacional da Coleta da Solidariedade

Domingo de Ramos — 16 de Março de 2008

2. Organização da Coleta

Todas as pessoas das comunidades eclesiais são convidadas a organizar o gesto concreto de solidariedade durante o tempo forte da CF, que vai do início do Quaresma, na Quarta-feira de Cinzas, até o Domingo de Ramos, que antecede a Páscoa.

Bispos, padres, diáconos, religiosos(as), lideranças leigas, agentes de pastoral, colégios católicos e movimentos eclesiais são motivadores da CF, para que todos participem oferecendo sua solidariedade em favor das pessoas, grupos, e comunidades que defendem a vida. O gesto fraterno da oferta tem um caráter de conversão quaresmal.

3. O envelope

O envelope é um incentivo para realizar a coleta. Se o envelope for distribuído no início da Quaresma e as pessoas forem motivadas a faer “poupança” de pequenos gastos, a cada dia e/ ou cada semana, elas poderão depositar no envelope o dinheiro desses pequenos gastos não realizados, para ser entregue na celebração da comunidade, no Dia Nacional da Coleta da Solidariedade, no Domingo de Ramos. Essa iniciativa tem muita aceitação e viabilidade também com crianças/adolescentes da catequese e grupos de famílias. A solidariedade dessa pequena iniciativa realizada por todas as escolas católicas com seus alunos e professores teria um significado muito especial. Mas o gesto concreto também deve ser feito sem o envelope.

4. Envio da Coleta

O resultado integral da coleta da CF de todas as celebrações do Domingo de Ramos, com ou sem envelope, deve ser encaminhado à respectiva diocese; esta, por sua ve, encaminha 40% do total da Coleta para o Fundo Nacional da Solidariedade.